Cuidar do familiar em casa ou buscar um serviço especializado?

Cuidar do familiar em casa ou buscar um serviço especializado?

Qual a melhor decisão: Cuidar do familiar em casa ou buscar um serviço especializado?

Esta dúvida nos assola por vezes, quando somos responsáveis por cuidar de pais, avós, tios, enfim, entes queridos que envelhecem e por vezes adoecem, necessitando de nosso apoio e cuidados, de modo mais detido e personalizado, como o serviço de um residencial de idosos.

É extremamente importante pensar no modo de cuidar destas pessoas, sem esquecer de cuidar do nosso próprio bem-estar. Sob esta perspectiva, um residencial de idosos é uma das melhores opções para quem se encontra no dilema: permanecer com o ente querido em casa ou buscar um serviço especializado.

Mudar-se para um residencial de idosos, nos permite contar com pessoas especializadas para auxiliar e dividir preocupações, assim como para acolher e orientar, e principalmente para cuidar da forma correta.

É importante considerar algumas perguntas que auxiliam na hora da decisão pela mudança para um residencial de idosos:

* Consigo administrar cuidadores contratados (empregados) e a casa do meu ente querido (caso ele resida em sua própria casa)?

* Consigo visitá-lo e dar a ele o suporte que gostaria e ainda cuidar da minha vida particular (trabalho, cônjuge, filhos, etc.)?

* Me sinto tranquilo e confiante com os cuidadores que prestam assistência ao meu ente querido?

* Acredito que, mesmo em minha casa ou na dele, a qualidade de vida que proporciono, (interação social, passeios, atividades culturais, visitas de familiares, etc.) é suficiente para suprir as demandas atuais de que ele necessita?

* Estou preparado para lidar com preocupações advindas de intercorrências que demandem emergência médica e hospitalização?

* Me sinto confortável na condição atual de cuidador/responsável do meu ente querido?

Caso tenha respondido NÃO à maioria das perguntas acima, é o momento de pensar na possibilidade de transferir seu ente querido para uma Instituição de Longa Permanência (ILPI), pois o que parece estranho à princípio, pode ser benéfico para todos os envolvidos.

Daniela Bernardes Psicóloga SBA Residencial