Síndrome de Burnout, o que é?

Síndrome de Burnout, o que é?

Prestar assistência a idosos ou outras pessoas debilitadas não é uma tarefa fácil, ainda mais se for conciliada com a vida profissional e outras responsabilidades. Quando falamos de assistência ao idoso temos alguns pontos a levar em consideração, como as diferenças geracionais e alterações comportamentais que eles costumam apresentar, por vezes relacionadas à doenças neurológicas e outras à debilidade que pode ocorrer pelo próprio processo de envelhecimento.

Compreender o envelhecimento e suas necessidades, é a melhor forma de evitar o que chamamos de “estresse do cuidador” ou a Síndrome de Burnout, que é ocasionado pelo cuidado esmerado a alguém que depende de você e que tira sua independência, autonomia e condições de descanso e lazer, pela responsabilidade de cuidado e atenção que demanda, gerando sintomas físicos e emocionais.

Por muitas vezes, pensar na mudança para um residencial de idosos causa um sentimento de culpa,  mas tal mudança se torna mais necessária quando a saúde do cuidador está em jogo ou quando o mesmo já desenvolveu a Síndrome de Burnout.

Cuidador, familiar, assim como o idoso, necessitam de devida atenção e cuidado, pois todos têm direito ao descanso e para isso, há que se levar em consideração as necessidades de ambos, já que quem não se atenta para o autocuidado, dificilmente consegue ser um bom cuidador. Quando o faz, tende a adoecer, e nessas horas a opção de um residencial para idosos deve ser considerada.

Sobre o que refletir antes de se beneficiar desta mudança:

  • Estou com insônia pelo cansaço de cuidar do meu ente querido?
  •  Estou com falta de apetite pelo excesso de afazeres do dia a dia?
  • Estou com irritabilidade e falta de paciência para com ele, pelas atribuições que me gera?
  • Sinto que ele me solicita mais do que deveria?
  • Sinto que não tenho tempo suficiente para fazer as coisas que gostaria por causa dos cuidados prestados a ele?
  • Sinto que perdi o controle da minha vida desde que iniciei os cuidados a ele?
  • Sinto que minha vida social foi afetada pelos cuidados com ele?
  • Sinto-me indeciso sobre o que fazer com ele?
  • Sinto-me cansado quando estou na presença dele?

Caso responda sim para a maioria das perguntas acima, há que se pensar em uma nova forma de proporcionar o devido cuidado ao seu ente querido, para que você possa retomar sua qualidade de vida e manter a dele, percebendo suas limitações e passando a locais especializados a responsabilidade de exercerem seu trabalho da melhor forma, e beneficiando a todos os envolvidos.

Um residencial de idosos pode proporcionar a você novas percepções e olhares diante do envelhecimento e de como melhor passar por esta etapa da vida com sabedoria.