Estamos Online! Fale conosco

Arquivos de Categoria: Notícias

CIAD 2019

O NADI – Núcleo de Assistência Domiciliar Interdisciplinar do Hospital das Clínicas da FMUSP, em parceria com a Fundação Faculdade de Medicina, realizará nos dias 08 e 09 de novembro de 2019, no Centro de Convenções Rebouças em São Paulo/SP, o 18º Congresso Brasileiro Interdisciplinar de Assistência Domiciliar – CIAD 2019, com o Tema “A Casa e a Rua: Peculiaridades da Atenção Domiciliar Brasileira”

O Congresso conta com participantes das diferentes áreas da saúde e das diversas regiões do país, face à importância do interesse dos congressistas. É o momento dos participantes conhecerem produtos e práticas relevantes na atenção aos pacientes em domicílio.

Com o objetivo de facilitar a apreensão do conteúdo proposto, O CIAD 2019, como na edição anterior, utilizará de espaços simulados, transitando entre a teoria e a prática, para abordar temas importantes na atenção domiciliar.

Estamos aguardando em torno de 600 participantes entre eles Médicos, Enfermeiros, Assistentes Sociais, Nutricionistas, Fisioterapeutas, Psicólogos, Farmacêuticos, Fonoaudiólogos, Cirurgião Dentistas, Terapeuta Ocupacional e estudantes interessados.

Nosso site:  www.ciad.com.br

Dormir bem é essencial para a saúde

Dormir bem é essencial para a saúde

Por que dormimos? Embora seja uma atitude completamente natural, as funções do sono ainda despertam dúvidas em muitas pessoas, porém inúmeros estudos têm evidenciado sua importância para a saúde e o papel reparador que desempenha no funcionamento do sistema nervoso, cardíaco e endócrino.

Dormir é tão fundamental para o corpo como alimentar-se bem e praticar atividades físicas. É durante as primeiras horas do sono que acontece, por exemplo, a liberação do hormônio GH, conhecido como o hormônio do crescimento.

Dormir para ser saudável

A privação de sono causa grandes impactos à saúde como o aumento dos níveis de cortisol e ACTH (Hormônio Adrenocorticotrófico), que são hormônios relacionados ao estresse.

Dormir mal também pode influenciar negativamente o sistema cognitivo; aumentar a irritabilidade e a ansiedade; alterar a resposta imunológica do corpo; contribuir para o surgimento de doenças como pressão alta e diabetes; alterar o apetite e favorecer a obesidade, já que reduz o hormônio que promove a saciedade (leptina) e estimula o hormônio que aumenta a fome (grelina).

Sono na terceira idade

Você já deve ter percebido que bebês dormem bastante, enquanto idosos costumam dormir cada vez menos, certo? Isso acontece porque a necessidade de horas de sono altera conforme a idade, no entanto, notavelmente, ela é muito maior na infância. Recém-nascidos, por exemplo, precisam de 16 horas de sono por dia. Porém essa necessidade diminui ao longo do tempo até atingir de sete a oito horas diárias na idade adulta.

Na terceira idade essa quantidade reduz ainda mais, pois o envelhecimento traz uma série de mudanças na rotina do indivíduo, como a diminuição de atividades físicas e o uso de medicamentos, que podem alterar o padrão do sono, causando insônia, sonolência diurna, falta de memória “sono interrompido” durante a noite.

Além da rotina, outros fatores decorrentes das modificações cerebrais que com o envelhecimento, influenciam o sono dos idosos, que naturalmente torna-se mais leve e em geral não dura mais do que oito horas diárias.

Como dormir bem?

Mesmo conhecendo a importância e todos os benefícios de dormir bem, muitas vezes ter uma noite de sono renovadora é uma tarefa difícil para muitas pessoas. Para ter um sono saudável e recuperar o período de descanso por completo, o primeiro passo é adotar alguns hábitos, o que é conhecido hoje como “higiene do sono”.

Considerada uma intervenção psicoeducacional, a higiene do sono tem a finalidade de ensinar as pessoas a perceberem quais fatores externos ou ambientais geram efeitos adversos e nocivos ao sono. Normalmente, as recomendações são feitas por um profissional especializado (psiquiatra), podendo ser verbais se possível, escritas.

Dicas de Higiene do Sono

Abaixo listamos algumas atitudes simples, mas que podem melhorar expressivamente as noites mal dormidas. Confira:

  • Evite longos cochilos à tarde para que durante o período da noite o sono não desapareça;
  • Praticar exercícios físicos é um grande aliado do sono saudável, mas tente fazê-los na parte da manhã, nunca poucas horas antes de dormir;
  • Não consuma alimentos estimulantes durante a noite como: chocolate, cafés, chás, refrigerantes e cigarro;
  • Fuja da iluminação excessiva da TV, smartphones, tabletes, computadores etc. Mantenha-os longe da cama antes de se deitar;
  • Ingerir bebidas alcoólicas para muitos é um bom indutor de sono, mas a verdade é que elas atrapalham na qualidade e na quantidade geral do sono, prejudicando a memória e o funcionamento dos sistemas imunológico e nervoso central;
  • Se você, por natureza, sofre com a insônia, tente relaxar antes de dormir. Meditar ou se concentrar no seu sono pode ajudá-lo a ter uma noite melhor;
  • Não se esqueça da disciplina. Estabeleça horários fixos para acordar e se deitar.

Hoje vivemos em uma sociedade que não prioriza tanto a qualidade do sono, porém devemos lembrar dormir bem é uma parte fundamental da manutenção de uma boa saúde, do equilíbrio, da qualidade de vida e do bom funcionamento do corpo e do cérebro.

A memória na terceira idade

Esquecer o número do próprio telefone, o nome de pessoas próximas e lugares já conhecidos, assim como ter mais dificuldade de memorizar novas informações, são episódios comuns na terceira idade.

Dentre as inúmeras alterações fisiológicas decorrentes do processo de envelhecimento, algumas das principais são as mudanças ocorridas nas funções do sistema nervoso central, principalmente as de origem neuropsicológicas envolvidas no processo cognitivo como, por exemplo, aprendizado e memória.

Apesar disso, a maior parte dos idosos que passa por esquecimentos não apresenta demência e consegue até mesmo se lembrar das recordações do passado. Mas, ainda assim, quando há indícios da perda de memória gradativa, os familiares são os primeiros a notar e é natural que fiquem preocupados com a situação.

Dicas para melhorar a saúde cognitiva

Antes de conhecer as dicas de como exercitar o cérebro e melhorar a memória na terceira idade, é importante saber que o declínio da saúde cognitiva também está associado ao estresse, ansiedade e à depressão. Você sabe por quê?

A liberação em excesso do cortisol, também conhecido como hormônio do estresse, influencia diretamente na diminuição do hipocampo, que é a região cerebral em que as lembranças e conhecimentos são gravados.

Entretanto, assim como podemos exercitar o nosso corpo, também podemos realizar alguns exercícios que estimulam o cérebro. Abaixo separamos seis atividades que desempenham esta função de fortalecer a saúde cognitiva. Confira:

  1. Estimule os sentidos com novas descobertas. Experimente novos sabores, aromas e texturas. Frequente locais diferentes, faça novas amizades, tire um tempo para realizar novos estudos ou aprender outras habilidades.
  2. A segunda dica está conectada à primeira: ao fazer qualquer uma destas atividades, evite distrações, pois focando melhor a sua atenção na tarefa executada, a memorização do que está acontecendo será mais profunda.
  3. Escreva para as pessoas que você ama (familiares e amigos); ouça músicas da época da juventude; leia livros e assista filmes que despertam interesse; faça crochê, bordado ou qualquer outro trabalho manual artístico.
  4. Mantenha sempre por perto uma caneta e um caderno para anotar informações que você lembrou, principalmente antes de dormir. Pode até deixá-los ao lado da cama se necessário;
  5. Jogos como palavras cruzadas, sudoku, quebra-cabeças ou caça-palavras, além de divertidos, são excelentes para exercitar o cérebro. Mas se você for mais tecnológico, também é possível baixar aplicativos com jogos específicos para treinar a atenção e a memória.
  6. Por último e sempre importante: realize atividades físicas conforme orientação médica e mantenha uma boa alimentação, com dietas que auxiliam no processo de envelhecimento mais saudável. Muitos alimentos podem ajudar você nessa busca por uma memória mais ativa.

Quando se preocupar…

A partir do momento que o esquecimento e o déficit de atenção e concentração começam a interferir no cotidiano e nas relações interpessoais, a condição deixa de estar associada à idade e passa a ser considerada um sintoma de demência ou até mesmo Alzheimer.

É por este motivo que a atenção deve ser redobrada e o paciente submetido a exames para identificar se realmente a perda da memória está associada à idade ou é o começo de uma doença degenerativa, exigindo assim tratamento precoce para controlar os sintomas e garantir uma qualidade de vida melhor.

17º Congresso Brasileiro Interdisciplinar de Assistência Domiciliar

CIAD 2018

17º Congresso Brasileiro Interdisciplinar de Assistência Domiciliar

Arquitetura do Cuidado: A arte do possível na Atenção domiciliar.

Dentre os significados da palavra arquitetura podemos destacar: arte e técnica de organizar espaços e criar ambientes para abrigar os diversos tipos de atividade humana visando também à determinada intenção plástica. Para o arquiteto Carlos Alberto Prates a arquitetura á a arte do possível. Isto quer dizer que o sonho ou ideal do próprio profissional ou de seu cliente deve ser estudado, analisado e materializado, isto é: se tornado possível. Concretizado na forma de uma ponte que liga lugares antes inatingíveis, uma igreja, que abriga fé e fiéis, uma escola que gesta o futuro de uma nação, um hospital que entre dores, fracassos, êxitos e milagres cuida de nossa saúde ou uma casa, um microuniverso, que reúne um pouco de tudo isso.

Para Le Corbusier a casa é uma máquina de morar. Desse ponto de vista deve ser funcional o suficiente para garantir cuidado e abrigo. Por ser histórica e socialmente determinada, a moradia de cada um de nós reflete nossas condições econômicas, o lugar social que habitamos e os aspectos culturais que nos formam e “conformam”.

Se “a arquitetura fala de seu tempo e lugar, porém anseia por ser atemporal” (Frank Gehry), o cuidado realizado na residência do paciente e família também assim deve ser visto. Se por um lado as intervenções, procedimentos e tratamentos estão estreitamente relacionados às potencialidades e limites locais, institucionais e das equipes, por outro lado a evolução e adequação frente às necessidades do paciente podem ser reconhecidas como ilimitadas.

O CIAD 2018 foi dessa forma pensado: a arquitetura do cuidado pretende demonstrar a arte e a técnica de diferentes realidades e também de diferentes equipes na busca sempre presente da adequação frente à demanda, da concretização de ideais e da realização do que antes era somente sonho de intervenção ou ideal de prática.

A fim de concretizarmos nosso ideal arquitetamos para o congresso que ora se apresenta uma estrutura extremamente inovadora: as necessárias palestras serão sempre complementadas com oficinas pelas quais se pretende, na prática, demonstrar como se faz in loco, isto è: como no domicílio implanto minha intervenção. Várias e diferentes experiências de êxito serão apresentadas, de forma que cada profissional possa aprender e replicar o modelo na sua instituição, no seu estado e especificamente com o seu paciente. A proposta é efetivamente congregar experiências e demonstrar as diferentes arquiteturas criadas pelos profissionais no intuito de bem atender paciente, família e comunidade.

Assim, a atenção domiciliar é reconhecida como uma arquitetura condicionada ao sonho realizável de uma instituição, de uma política, de uma população. Sendo ou devendo ser, estreitamente relacionada aos aspectos sociais e culturais que a condicionam, a atenção domiciliar oferece inúmeras possibilidades de superaração de limites e de inovação na apresentação de propostas frente ao reconhecimento do domicílio como espaço possível e adequado de cuidados.

Como nos diz Niemeyer: “se a reta é o caminho mais curto entre dois pontos, a curva é o que faz o concreto buscar o infinito”.

Inscrições e mais informações em:

GERO 2018 – Envelhecimento, Tecnologia e Humanização

Gero 2018
Gero 2018
Gero 2018

As discussões que temos sobre o envelhecimento, no Serviço de Geriatria do Hospital das Clínicas da FMUSP, norteiam a organização do próximo GERO.
Primeiramente lembramos que a produção cientifica do Serviço de Geriatria que será apresentada no evento cresce a cada ano em qualidade e em discussão de assuntos essenciais no cuidado dos idosos, seja do ponto de vista geriátrico ou gerontológico, e hoje ocupa espaço em publicações internacionais de revistas conceituadas.
E nessa edição o tema proposto para atualização foi “Envelhecimento, Tecnologia e Humanização”. Tendo em vista que as demandas da população que envelhece serão em parte supridas ou atendidas por tecnologias que já existem ou ainda serão desenvolvidas conhece-las é de extrema importância para quem atua no cuidado dos idosos.
Pensando desta forma a comissão cientifica elaborou uma programação muito rica em temas nas mais diversas áreas da tecnologia, indo de aplicativos, jogos, sistemas, plata­formas, métodos diagnósticos até inteligência artificial e robótica que serão abordados por palestrantes altamente qualificados.

Dessa forma convidamos você a dividir conosco esse aprendizado no GERO 2018 imagi­nando nos preparar para conhecer, discutir e refletir sobre assuntos que implicarão nos cuidados das pessoas que envelhecem.
Grande abraço!

Prof. Dr. Wilson Jacob Filho 
Prof. Titular de Geriatria da FMUSP

 

Inscrição, programação e mais informações em:

http://simposiogero.com.br/

 

GERO 2017

GERO 2017

GERO 2017 – Simpósio Anual do Serviço de Geriatria do HC-FMUSP

Localização :

Centro de Convenções Rebouças

Av. Rebouças, 600 Pinheiros, São Paulo – SP

11 3273-8221

Segunda à Sexta 09h às 17h

contato@medicinecursos.com.br

Inscrições e Demais Progamações estão no Link : simposiogero.com.br

CIAD 2017 – 16° Congresso Brasileiro Interdisciplinar de Assistência Domiciliar

CIAD 2017

CIAD 2017 – 16° Congresso Brasileiro Interdisciplinar de Assistência Domiciliar

PROGRAMAÇÃO 10/11/2017 – 1° Dia

09h00 às 12h30

CURSOS Pré-Congresso e oficinas

Quando as dificuldades face às conjunturas políticas e econômicas afetam o desempenho das instituições, sejam elas públicas ou privadas, há de se procurar estratégias de sobrevivência, mecanismos para atravessar a turbulência com segurança, garantindo a manutenção de suas atividades com eficiência, eficácia e efetividade.

Setor Público

Fragmentação da Assistência à Saúde: o desafio quanto à garantia do atendimento à população face à redução de recursos. (9h às 10h)
Palestrante:

Intervalo 10h 10h30

Programa “Melhor em Casa” como alternativa à continuidade da assistência aos pacientes que necessitam dessa modalidade de atendimento.
Entrevistados:
Entrevistador:

Setor Privado

Atividade econômica em declínio: impactos e perspectiva na saúde suplementar.
Palestrante:

Gestão proativa: antecipando-se às mudanças para manter a qualidade e efetividade na prestação de Assistência Domiciliar.
Entrevistados:
Entrevistador:

OFICINAS: 10 de novembro de 2017 (sexta-feira) 9h às 12h

Em 2017 os cursos pré-congresso serão apresentados na forma de OFICINAS TEMÁTICAS com o intuito de, por meio de atividades práticas, proporcionarem ao participante a vivência in loco sobre o assunto proposto. Na perspectiva de Candau (1995): a oficina se constitui como um espaço de construção coletiva do conhecimento, de análise da realidade, de confronto e troca de experiências.

“Ensinar não é transferir conhecimento,
mas criar as possibilidades para a sua própria 
produção ou a sua construção.”

Paulo Freire

 

CONGRESSO sexta-feira – 10 de novembro de 2017 (14h às 18h – tarde)

ATIVIDADE I- O domicílio como espaço de cura. (14h às 18h)

Grande Painel I: Tempo da cura: cuidados especiais para populações diferenciadas por período determinados. (14h às 16h)

  • Visando o cuidado com mãe e bebê: acompanhamento no pós-parto.
  • Cuidados no pós-operatório: plano terapêutico com enfoque na reabilitação no idoso.
  • Reabilitação nutricional no pré-operatório: diminuindo o risco cirúrgico e o tempo de internação.

Intervalo (16h às 16h30)

Mesa redonda I: temas polêmicos (16h30 às 18h)

  • Anticoagulação oral no domicílio: segurança x conveniência x eficácia x custos.
  • Pacientes em antibioticoterapia domiciliar: adequação posológica x antibiograma.

ATIVIDADE II
O domicílio como espaço de reabilitação. (14h às 18h)

Grande Painel II: Minimizando os riscos da dependência: técnica e arte no treinamento ao paciente e cuidador. (14h às 16h)

  • Oftalmogeriatria em assistência domiciliar – Alterações visuais: como identificar
  • “Você me entende?” Capacitando o paciente para voltar a Falar.
  • Voltando a andar: treinando a locomoção sob olhar de um leigo.
    Palestrante:

Intervalo (16h às 16h30)

Mesa redonda II: Temas polêmicos: (16h30 às 18h)

  • Cuidadores familiares com transtornos psíquicos: limite temporal e de complexidade de cuidados.
  • Reuniões de família: solução para todas as mazelas sociais que interferem nos cuidados?

ATIVIDADE III
O domicilio como espaço de cuidados crônicos (14h às 18h)

Grande Painel III: Doenças crônicas x cuidados crônicos. (14h às 16h)

  • Gerenciamento de Casos: a proposta na atenção ao idoso de alta dependência.
  • Quando não há adesão ao tratamento: desinformação, negligência ou fatores socioculturais. Como intervir?
  • A cronicidade do cuidado e o estresse do cuidador: intervenções possíveis.

Intervalo (16h às 16h30)

Mesa redonda III: Temas polêmicos: (16h30 às 18h)

  • Quando o Estado é negligente: aumento da demanda x insuficiência de Políticas Públicas.
  • Ministério Público: ações desenvolvidas para a proteção de pessoas idosas em situação de vulnerabilidade.

ATIVIDADE IV
O domicílio como espaço de cuidados paliativos (14h às 18h)

Grande Painel IV: Cuidados finais domiciliares: manejo preciso de sintomas e a expertise dos serviços. (14h às 16h)

  • Indicação precisa no uso de diferentes opióides na dor do câncer.
  • O difícil manejo dos sintomas comportamentais no final da vida.
  • Quando o sofrimento psíquico é o que precisa ser paliado.

Intervalo (16h às 16h30)

Mesa redonda IV: Temas polêmicos (16h30 às 18h)
Coordenador:

  • Abordagens inadequadas em cuidados paliativos pediátricos: quando e como discutir aspectos que envolvem o final de vida.
    Palestrante:
  • Adolescentes: decisões compartilhadas?

SEXTA- FEIRA – 10 de novembro de 2017(18h30)

Abertura: 10 de novembro de 2017 (sexta–feira) 18h
CONFERÊNCIA DE ABERTURA: Construções coletivas: Histórias individuais, ações integrativas

HAPPY POSTER

 2° Dia – CONGRESSO 11 de novembro de 2017 – sábado – 09h às 18h00

ATIVIDADE I – O domícílio como espaço de cura (9h às 18h30)

Palestra: Atenção Domiciliar: conjunto de ações que visam a integralidade no atendimento à saúde.
Palestrante:

Intervalo (10h às 10h30)

Grande Painel I: Possibilidades e limites em Atenção Domiciliar. (10h30 às 12h30)
Coordenador:

  • AD1, AD2 e AD3: o reconhecimento das atribuições dos diferentes níveis de complexidade.
  • NASF e EMAP – complementação de ações e apoio às equipes de ‘ Atenção Domiciliar.
  • EMAD – o desafio no momento da alta: construindo a rede de apoio ao paciente em transição.

Intervalo: 12h30 às 14h

Mesa redonda: conversa com especialistas: (14h às 16h.)
Estratégias de promoção da saúde e prevenção de doenças que podem e devem ser utilizadas na modalidade Atenção Domiciliar.

  • Setor Público
    Entrevistado:
    Entrevistador:
  • Setor Privado
    Entrevistado:
    Entrevistador:

Tema livre: apresentação oral 3 trabalhos (16h às 16h45)

Intervalo: 16h45 às 17h30

Encerramento e Premiação: 17h30 às 18h30

ATIVIDADE II – O domícílio como espaço de reabilitação (09h às 18h30)

Palestra: SENECULTURA e sua aplicabilidade na Assistência Domiciliar
Palestrante:

Intervalo (10h às 10h30)

Grande Painel I: Possibilidades e limites da atenção domiciliar no processo de reabilitação. (10h30 às 12h30).

  • Avaliação fonoaudiológica precoce no pré-alta: resultados mais favoráveis na reabilitação domiciliar.
  • Estimulação cognitiva – o diferencial do atendimento domiciliar.
  • Fisioterapia domiciliar: avaliação e elaboração de plano terapêutico direcionado.

Intervalo: 12h30 às 14h

Mesa redonda: conversa com especialistas: (14h às 16h.)
Doenças neurodegenarativas: quando a perda da funcionalidade requer recursos tecnológicos e intensificação de cuidados

    • Criança e adolescentes: Distrofia Muscular
      Entrevistador:
      Entrevistado:
  • Adulto: Esclerose Lateral Amiotrófica
    Entrevistador:
    Entrevistado:

Tema livre: apresentação oral 3 trabalhos (16h às 16h45)

Intervalo: 16h45 às 17h30

Encerramento e Premiação: 17h30 às 18h30

ATIVIDADE III – O domicilio como espaço de cuidados crônicos (09h às 18h30)

Palestra: Doenças crônicas: principais diagnósticos em Atenção Domiciliar. (09h às 10h).

Intervalo (10h às 10h30)

Grande Painel II: Doença crônica: as condições de cuidados envolvendo o paciente, família e equipe de saúde. (12h30)

  • Novas configurações familiares – desdobramentos legais: deveres e responsabilidades.
  • Gerenciamento de pessoas em AD e a negociação diária entre paciente, família e prestadores de assistência.
  • Demanda por cuidados de pacientes com alta dependência: o estresse dos cuidadores.

Intervalo: 12h30 às 14h

Mesa redonda: Conversa com especialistas (14h às 18h)
Questões legais pertinentes à Atenção Domiciliar.

    • Gestor de AD: situações mais comuns e demandas improcedentes. (Amil)
      Entrevistado:
      Entrevistador:
  • Aspectos dos contratos formais e tácitos: evitando conflitos na Atenção Domiciliar
    Entrevistado:
    Entrevistador:

Tema livre: apresentação oral 3 trabalhos (16h às 16h45)

Intervalo: 16h45 às 17h30

Encerramento e Premiação: 17h30 às 18h30

ATIVIDADE IV – O domícílio como espaço de cuidados paliativos (09h às 18h30)

Palestra: Cuidados Paliativos: a implantação de serviços e a importância da Atenção Domiciliar. (09h às 10h)
Palestrante:

Intervalo (10h às 10h30)

Grande Painel I: Um dia a menos: quando a proximidade da morte exige atenção, delicadeza e cuidados especiais. (10h30 às 12h30)

  • Controle de sintomas de difícil manejo domiciliar: diagnóstico e intervenção.
  • Cuidados de conforto e alívio da dor – tratamento não farmacológico.
  • Cuidados de conforto e alívio da dor: tratamento farmacológico.

Intervalo: 12h30 às 14h

Mesa redonda I: Conversa com especialistas: (14hh às 16h.)
Riscos de iatrogenias no domicílio: quando suspender o cuidado domiciliar

NADI– reconhecimento dos limites de recursos para o tratamento em domicílio: quando o hospital é o mais indicado

SAMU– atendimento direcionado: a importância do prontuário domiciliar com a evolução clínica e anotações sobre as diretivas acordadas.

Tema livre: apresentação oral 3 trabalhos (16h às 16h45)

Intervalo: 16h45 às 17h30

Encerramento e Premiação: 17h30 às 18h30

PÔSTERES / Regras para inscrições de trabalhos no CIAD 2017

1. INSCRIÇÃO DO TRABALHO:
    a. Informamos que cada participante poderá enviar no máximo 3 trabalhos como autor principal. Se desejar enviar novos trabalhos como co-autor, será necessário efetuar a inscrição dos demais autores.
    b. Além da inscrição no Congresso, é necessário um novo cadastro para o Envio dos trabalhos.
2. APRESENTAÇÃO DO TRABALHO:
    a. Pôster.
    b. Apresentação oral (a seleção dos trabalhos apresentados oralmente ficará a critério da Comissão. Os não selecionados para apresentação oral deverão permanecer em formato de pôster).
3. DESCRIÇÃO DOS AUTORES: sem itálico.
Exemplo:
Oliveira, MCD ; Viana, LC
4. RESUMO: deve conter no máximo 300 palavras, incluindo na contagem: título, autores e instituição. Segue modelo de resumo no link:
Segue modelo de resumo no link: https://ciad.com.br/arquivos/modelo_resumo.docx
5. PALAVRA CHAVE: 3 a 5 palavras.
6. MODALIDADES DE TRABALHOS:
Todos os trabalhos deverão estar relacionados somente com a prática em assistência domiciliar.
   a. Trabalho Científico: os resumos deverão conter introdução, objetivos, metodologia, resultados e conclusão.
   b. Relato de Experiência: os resumos deverão conter a descrição de serviço ou modelos de atuação em assistência domiciliar.
   c. Estudo de caso: os resumos deverão conter a descrição do atendimento de um caso em assistência domiciliar.
7. ENVIO DOS TRABALHOS: Data limite para recebimento dos resumos: 28 de setembro de 2017..
8. TAMANHO RECOMENDADO PARA CONFECÇÃO DO PÔSTER:
   a. Largura: 90 cm. Altura: 120 cm.
   b. É obrigatório que o pôster seja confeccionado com cordão para pendurar.
9. HORÁRIO PARA A EXPOSIÇÃO DOS POSTERES:
   a. Colocação a partir das 8h do dia 10 de novembro de 2017 no Salão Nobre.
   b. Retirada a partir das 17h do dia 11 de novembro de 2017 no Salão Nobre.
10. CERTIFICADOS:
   a. Será fornecido um único certificado por trabalho apresentado com os nomes de todos os autores envolvidos.
   b. É importante observar que os certificados dos trabalhos serão entregues somente no evento.
11. PREMIAÇÃO: os melhores trabalhos de cada categoria serão premiados ao final do evento.
12. PUBLICAÇÃO:
   a. Os resumos serão publicados exatamente como foram enviados pelos autores portanto, atenção às normas e revisão ortográfica sob pena de eventuais erros constarem na publicação.
   b. O conteúdo do resumo é de estrita responsabilidade dos autores.
• IMPORTANTE:
Para esclarecimentos envie e-mail para: ciad@preferencialeventos.com.br
O sistema do congresso e o sistema para envio de trabalhos não são interligados, portanto a senha utilizada para inscrição do congresso não é valida para envio de trabalhos. Caso não tenha efetuado seu cadastro neste sistema, por favor, cadastre-se.

INSCRIÇÃO

1. A programação cientifica poderá ser alterada a qualquer momento sem aviso prévio.
2. Inscrições por Nota de Empenho somente serão efetuadas pelo telefone: 55 (11) 4303-7235 ou email: ciad@preferencialeventos.com.br.
3. Atenção: As inscrições por meio de NOTA DE EMPENHO SERÃO RECEBIDAS ATÉ A DATA DE 13/10/17
4. Após 27/10/17 as inscrições poderão ser realizadas apenas na secretaria do evento – Centro de Convenções Rebouças conforme disponibilidade de vagas.
5. No caso de eventual impossibilidade de seu comparecimento, outra pessoa poderá lhe substituir, mediante taxa administrativa de R$ 80,00 e comunicação enviada por e-mail, fax ou carta até a data limite de 27/10/ 17
6. O cancelamento de inscrições será aceito somente mediante comunicação enviada até 27/10/17 por e-mail, fax ou carta, o que dá direito à devolução de 60% do valor pago, no prazo de 30 dias após a solicitação. Não haverá devolução alguma de valores para pedidos enviados após 27/10/17.
7. Os certificados estarão disponíveis no site www.ciad.com.br a partir de 21/11/17. Haverá um link IMPRIMA AQUI O SEU CERTIFICADO, basta clicar no link, digitar o seu CPF e imprimir.
8. Os certificados que necessitarem de correções poderão ser solicitados, por meio de comunicação por e-mail ou fax ou carta, até 180 dias após o evento.

* Somente estudante de graduação mediante comprovação.
  • – Boleto Bancário à vista
  • – Cartão de Crédito à vista
  • – Cartão de Crédito 4x

Veja Mais no Link : https://www.ciad.com.br/

Aluguel de cama hospitalar e venda de cama hospitalar em São Paulo – SP

AAluguel de cama hospitalar e venda de cama hospitalar em São Paulo - SP

A Gino Material Hospitalar há mais de 46 ANOS é uma empresa especializada em aluguel de equipamentos hospitalares dos mais variados modelos, entre eles o aluguel de cama hospitalar e aluguel de cadeira de rodas.

Além de possuirmos o maior estoque do mercado também oferecemos o melhor preço, com entrega rápida e qualidade de equipamentos, materiais e produtos. Oferecemos também atendimento personalizado, através de profissionais especializados, você terá total auxílio para determinar o aluguel de cama hospitalar adequada a sua necessidade.

A Gino Material Hospitalar possui localização privilegiada e estoque imediato para aluguel de cama hospitalar e venda de cama hospitalar.

O aluguel de cama hospitalar é próprio para pacientes recém saídos de hospitais, pois os médicos, procuram liberar o enfermo para recuperação em casa.

 

Aluguel de cama hospitalar em São Paulo – SP

Para contratação de aluguel de cama hospitalar, é necessário a indicação do peso e altura do paciente, CPF e RG do responsável, que pode ser o próprio paciente, o contrato é feito em duas vias, uma das quais fica de posse do signatário do contrato.

O período de aluguel de cama hospitalar é a partir de 30 dias e havendo a necessidade de prolongar o prazo, o contrato de aluguel da cama hospitalar pode ser estendido por mais 30 dias e assim sucessivamente.

A Vigilância Sanitária mantém rigorosa fiscalização e exige que após o término do contrato de aluguel de cama hospitalar, haja competente higienização, desinfecção e eventualmente uma pintura completa.
Há também a possibilidade de utilização de empresas de atendimento médico domiciliar, feitos por convênios médicos. No caso é feito o aluguel da cama hospitalar e demais equipamentos que irão depender da necessidade da pessoa acamada.

Pacientes de idade elevada também tem a necessidade de aluguel de cama hospitalar, a família pode decidir pela compra ou aluguel da cama hospitalar, sempre analisando o custo benefício oferecido.
Os diversos modelos de camas hospitalares para aluguel:

  • Aluguel de Cama hospitalar manual, cujos movimentos de elevação da cabeceira e dos pés são comandados através de 2 manivelas;
  • Aluguel de Cama hospitalar eletrônica, cujos movimentos idênticos aos da cama hospitalar manual, são efetuados por controle remoto.
  • Aluguel de Cama hospitalar Star eletrônica, com 5 movimentos, a saber: elevação da cabeceira, elevação dos pés, elevação do estrado em seu nível, elevação do estrado na cabeceira e elevação do estrado nos pés.

Alugue sua cama hospitalar em São Paulo com a melhor loja do mercado!

Saiba mais sobre o aluguel e venda de cama hospitalar em São Paulo – SP
Ligue para (11) 3884-1044 e 3887-9995
Se preferir preencha nosso formulário:  Contato
Ou entre em contato por email – contato@gino.com.br.

 

 

Cadeiras de Rodas em São Paulo – SP – Aluguel e venda

Cadeiras de Rodas em São Paulo - SP - Aluguel e venda

Além de possuirmos o maior estoque do mercado também oferecemos o melhor preço, com entrega rápida e qualidade de equipamentos, materiais e produtos. Oferecemos também atendimento personalizado, através de profissionais especializados, você terá total auxílio para determinar o aluguel de cadeira de roda adequada a sua necessidade.

A Gino Material Hospitalar há mais de 46 anos é uma empresa especializada em aluguel de equipamentos hospitalares dos mais variados modelos, entre eles o aluguel de cadeiras de rodas.

 

A Gino Material Hospitalar possui localização privilegiada e estoque imediato para aluguel e venda de cadeiras de rodas.

O aluguel de cadeira de rodas é direcionado para uma ampla gama de clientes, desde pacientes recém saídos de hospitais, pessoas com necessidades especiais, para banho, para locomoção, transferência, cadeira reclinável, para obesos, infantil e outros.

Cadeiras de Aço, alumínio, hospitalar, estrutura dobrável, rodas removíveis, aço carbono, assento e encosto em nylon, conforto, estrutura dobrável em X, Pintura eletrostática, Freios bilaterais reguláveis, Apoios de pés articuláveis, Apoios de braço fixos,…

Possuímos cadeiras de rodas manual, motorizadas e trabalhamos com as melhores marcas do mercado. Ortopedia Jaguaribe, Confort, Ottobock e Praxes.

Aluguel de cadeiras de rodas em São Paulo – SP


Para contratação de aluguel de cadeira de rodas, é necessário a indicação do peso e altura do paciente, CPF e RG do responsável, que pode ser o próprio paciente, o contrato é feito em duas vias, uma das quais fica de posse do signatário do contrato.

O período de aluguel de cadeiras de rodas é a partir de 30 dias e havendo a necessidade de prolongar o prazo, o contato de aluguel da cadeira de rodas pode ser estendido por mais 30 dias e assim sucessivamente.

A Vigilância Sanitária mantém rigorosa fiscalização e exige que após o término do contrato de cadeiras de rodas, haja competente higienização, desinfecção e eventualmente uma pintura completa.

Há também a possibilidade de utilização de empresas de atendimento medico domiciliar, feitos por convênios médicos. No caso é feito o aluguel da cadeira de rodas e demais equipamentos que irão depender da necessidade da pessoa e características bem como altura, peso e necessidade.

Pacientes de idade elevada também tem a necessidade de aluguel de cadeira de rodas, a família pode decidir pela compra ou alugar a cadeira de rodas sempre analisando o custo benefício oferecido.


Alugue sua cadeira de rodas em São Paulo com a melhor loja do mercado!

Saiba mais sobre o aluguel e venda de cadeira de rodas em São Paulo – SP
Ligue para (11) 3884-1044 e 3887-9995
Se preferir preencha nosso formulário: 
 Contato
Ou entre em contato por email – contato@gino.com.br.

Sinais de que o idoso precisa de cuidados especiais

Sinais de que o idoso precisa de cuidados especiais

Sinais de que o idoso precisa de cuidados especiais

Em 2020 a população idosa brasileira deverá ultrapassar a marca de 31 milhões, o que implicará em mudanças sócio – econômicas e culturais para atender à demanda existente, bem como uma discussão de como as famílias, cada vez com menos filhos, darão suporte aos familiares idosos, se irão focar em suas necessidades ou se irão acabar recorrendo a ajuda de um residencial de idosos. (Fonte: Site Scielo)

Mas, atualmente onde vivem estes idosos? A grande maioria vive em casa acompanhado dos familiares, que geralmente se ausentam durante o dia para trabalhar e, aproximadamente 15% moram sozinhos, sendo que existe uma tendência mundial de aumento desta porcentagem. E como nossos idosos estão envelhecendo? Infelizmente, é muito prevalente, especialmente entre os idosos muito idosos, ou seja, os acima de 85 anos, apresentarem transtornos cognitivos como Doença de Alzheimer ou sequelas de doenças crônicas, que reduzem a autonomia, e, os tornam mais dependentes funcionalmente, inclusive para atividades consideradas básicas na vida diária, o que implica em riscos de agravos à saúde e preocupações com relação a segurança tanto no domicílio quanto fora de casa. Desta forma, é de suma importância que amigos e familiares fiquem atentos e reconheçam quando um idoso não pode mais viver ou ficar só.